segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

TEIA

Onde está o meu amor?
Sonha comigo, contempla o seu umbigo?
Em que cidade, em que pensamento,
Se perdeu neste momento?
Teço fios para laçá-lo
antes que o lirismo me sufoque.
Penetro o sonho do meu amor,
pensando nele


(... e lixando as unhas...).

domingo, 26 de janeiro de 2014

SÓTÃO

Poderia assobiar sempre que passasses.
Não sei, não aprendi a assobiar.
Estão cerzidos, na barra da minha saia,
os temores de minhas bisavós.

Queria sussurrar-te muitas noites de amor.
Não posso. Vela minha voz
o silêncio da espera
na sacada noturna de meus príncipes.

Guarda esse baú, vazio, de enxoval,
a menina que carrega em seus passos
o andor eterno de todas as mulheres.

(Maria Alice Bragança)

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

INSÔNIA

Vontade de escrever nos muros.
Medo que a vida venha dos livros.
Pode não me convencer.
Mundo fora?
Mundo cá dentro.
Como posso estar só?
(Maria Alice Bragança)

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

OS CAMINHOS AINDA NOS TÊM

(A Oly Lobato, que, por meio de Ana Paranhos,
pediu-me que lhe enviasse estes antigos versos,
tão atuais entretanto...)

Os caminhos nos têm
é distante a terra
que poderá receber nossos sonhos.
As estradas
retêm as sombras,
estamos sós.

Os caminhos têm cansados
os corpos.
A noite é povoada
de sono
cansaço e buscas.

Náufragos de antigas rotas
embriagados de esperas
seguimos.

Homens/estradas
confundem-se em nossas retinas
final de cada dia.

Partiremos
mal chegada a manhã
em busca de novo sol
                               solo
de nosso chão de pedras
                               raízes
                                     
Nosso lugar neste espaço
para o despir o tempo
nas rotas vestes.



 Foto: Maria Alice Bragança
Todos os direitos reservados.



segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

VOU LEVAR NOS LÁBIOS UM BEIJO TEU

Vou levar nos lábios um beijo teu...

O calor dos teus dedos entre os meus

Um sorriso acanhado, um gesto tímido talvez.

 
Vou levar nos lábios um beijo teu...

De nada importa o tempo

se é assim tão grande o sentimento.

 
Vou levar nos lábios um beijo teu...

Que surpresa traz a vida

quando parece ser já despedida.

 
Vou levar nos lábios um beijo teu...

Muitas palavras não ditas

Alguns versos talvez.

 
Vou levar nos lábios um beijo teu...
 
 
 

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

MINGUANTE


Algumas noites acontece assim,
As sombras saem às ruas
A procurar uma metade qualquer.
Algumas noites acontece assim,
Surgem esses mistérios.
Não reflete o espelho
parte do rosto.